Press Release

Teenage Fanclub

O Regresso dos Pioneiros do Indie Pop

Teenage Fanclub, a lendária banda escocesa de rock alternativo / indie pop, prepara-se para brindar o público português com dois concertos eletrizantes que prometem ser experiências musicais inesquecíveis. Conhecidos pelos seus refrões melódicos e letras sinceras, os Teenage Fanclub encantam fãs pelo mundo fora desde o início dos anos 90, e o seu regresso a Portugal será certamente um ponto alto do ano para os entusiastas da música e principalmente da banda.

Porto
03 de Outubro
Hard Club

Bilheteira: https://crowdmusic.seetickets.com/event/teenage-fanclub-porto/hard-club-sala-1/2686514

 

Lisboa
04 de Outubro
Musicbox

Bilheteira: https://dice.fm/event/85ayw-teenage-fan-club-sweet-baboo-4th-oct-musicbox-lisboa-lisbon-tickets?lng=pt

 

Nota: O concerto de Lisboa inicialmente planeado para o LAV foi mudado por motivos de força maior para o Musicbox. Os bilhetes já comprados para o LAV servirão de entrada no Musicbox.

2 Concertos a Celebrar uma Carreira e um Novo Álbum

Os Teenage Fanclub, oriundos de Bellshill, Escócia, são uma banda conhecida pela sua mistura distinta de jangle pop, power pop e indie rock. Formada em 1989, a banda tem lançado consistentemente álbuns aclamados pela crítica e tem sido uma influência significativa na cena musical indie por mais de três décadas. São fundamentalmente reconhecidos pelos icónicos álbuns dos anos 90, mas numa visita às críticas da exigente Pitchfork ao seus álbuns dos últimos 20 anos vemos todas acima dos 7/10, o que nos confirma que a banda continua a fazer boa música, consistentemente.  

Com uma discografia que apresenta clássicos como “Bandwagonesque”, “Grand Prix” e “Songs from Northern Britain”, os Teenage Fanclub cativaram o público em todo o mundo com as suas melodias intemporais e letras comoventes. A sua música impactou várias gerações, e apesar de nunca se terem tornado verdadeiramente mainstream,  construíram uma fiel legião de fãs inter-geracionais que se vai renovando a cada novo álbum.

A formação atual da banda, composta por Norman Blake, Raymond McGinley, Francis MacDonald, Dave McGowan e Euros Childs, traz uma riqueza de talentos musicais e uma presença em palco que promete uma experiência ao vivo inesquecível.

O regresso dos Teenage Fanclub a Portugal trará de volta as icónicas atuações ao vivo da banda. Com um setlist que abrange sua ilustre carreira e irá certamente focar-se também no seu mais recente álbum “Nothing Lasts Forever” lançado a 22 de Setembro, os fãs podem esperar ouvir todos os seus sucessos favoritos junto com algumas surpresas que tornarão estes concertos verdadeiramente memorárveis.

Biografia

Formação da banda e primeiros anos

Os Teenage Fanclub, a mítica banda do rock alternativo escocês, formaram-se em Bellshill, Escócia, em 1989. A formação original da banda consistia em Norman Blake (voz, guitarra), Raymond McGinley (voz, guitarra), Gerard Love (voz, baixo), Brendan O. ‘Hare (bateria) e Francis MacDonald (bateria). Conhecidos pela  sua mistura harmoniosa de jangle pop, power pop e indie rock, os Teenage Fanclub rapidamente atrairam a atenção com os seus refrões melodiosos e composições cuidadas.

Diretos a Lendas com "Bandwagonesque"

Em 1991, os Teenage Fanclub lançaram seu icônico álbum “Bandwagonesque”, que os catapultou para o estrelato internacional. Este disco aclamado pela crítica mostrou todas as suas qualidades como compositores, originando comparações com bandas icônicas como The Byrds e Big Star.

 “Bandwagonesque” solidificou a reputação dos Teenage Fanclub como pioneiros de pop-rock intemporal movido a guitarras distorcidas, algo que veio a ficar conhecido como Power Pop. “Bandwagonesque” figurou em todas as exclusivas listas de melhores do ano em 1991, tendo inclusivamente a ousadia de destronar “Nevermind” dos Nirvana como nº1 na lista da conceituada revista Spin.

Consistentemente Excelentes e Relevantes

Ao longo dos anos os Teenage Fanclub continuaram a lançar álbuns que tiveram o mérito de agradar tanto aos fãs como à crítica. Álbuns como “Thirteen” (1993), “Grand Prix” (1995) e “Songs from Northern Britain” (1997) demonstraram a habilidade da banda em criar canções que casam perfeitamente a beleza melódica das composições com a sensibilidade desarmante das letras. A sua música, caracterizada por harmonias exuberantes e melodias memoráveis, resistiu ao teste do tempo, conquistando-lhes uma base de fãs global dedicada.

Nas décadas de ’00 e ’10 a banda não parou de lançar boa música com ´vários álguns memoráveis. Umas das poucas bandas que consistemente coleciona louvores da crítica, como se não soubesse fazer má música. E não sabe. 

Formação ao Longo dos Anos

Enquanto a banda passou por diversas mudanças na formação, Norman Blake e Raymond McGinley permaneceram constantes, garantindo a continuação do som único do Teenage Fanclub. Gerard Love, outra peça basilar da banda que contribuiu significativamente para as harmonias e composições características da banda, deixou a banda em 2018, mas o seu legado dentro do grupo permanece.

Legado e influência

É impossível ignorar a influência dos Teenage Fanclub no universo da música indie. Inúmeras bandas e artistas citam os Teenage Fanclub como fonte de inspiração, tanto bandas contemporâneas dos anos 90 como muitas outras ao longo dos anos. Dessas menções a mais famosa por motivos óbvios é a de Kurt Cobain que os chegou a considerar “a melhor banda do mundo”. Paralelamente sua música continua a ser descoberta e adorada por novas gerações de ouvintes a cada novo álbum. 

Nothing Lasts Forever (2023)

Apesar do título fatalista que parece antever um estado de espírito desolado, o 12º álbum da banda escocesa é na realidade pintado de um moderado optimismo. Isto principalmente quando contrastado com o álbum anterior “Endless Arcade”, um dos álbuns mais negros dos Teenage Fanclub, muito marcado pela separação conjugal de Normam Blake, um dos motores criativos da banda. Assim, e depois de ouvirmos o álbum, “Nothing Lasts Forever” parece ser mais sobre as momentâneas nuvens negras que acompanharam Blake num período conturbado da sua vida. 

 

Norman Blake:  “Estas músicas são definitivamente pessoais. Vais envelhecendo, vais ao armário tirar o fato preto com mais frequência. Pensamentos sobre mortalidade e a ideia da luz devem ter pairado muito nas nossas mentes. As músicas do último disco foram influenciadas pelo fim do meu casamento. Foi catártico escrever essas músicas. Estas novas músicas refletem como me estou a sentir agora, saindo daquele período. Elas são bastante otimistas, há uma aceitação de uma situação e de toda a experiência que vem com essa aceitação. Quando escrevemos, é um reflexo das nossas vidas, que são bastante comuns. Não somos pessoas extraordinárias e as pessoas normais envelhecem. Há muito o que escrever no mundano. Adoro ler Raymond Carver. Muitas vezes não há muita coisa a acontecer nessas histórias, mas elas falam de experiências vividas.”

 

“Nothing Lasts Forever” é mais um compêndium de bem escrever canções, com sequências de acordes optimistas e nostalgicamente alegres e harmonias vocais irrepreensíveis. Os Teenage Fanclub já há algum tempo que não se preocupam em soar diferente só porque sim. E essa maturidade, essa aceitação de quem são, essa paz, nota-se em cada música que fazem. 

 

Estamos perante mais um bom álbum da banda escocesa, com letras sentidas e reflexivas, que mais uma vez granjeou boa crítica e terá certamente enchido as medidas dos fãs, talvez até ganho mais alguns. Vimos há dias uma entrevista aos Alvvays, banda indie pop canadiana que lançou um dos melhores álbuns de 2022 – “Blue Rev”, onde os Teenage Fanclub eram mencionados como uma das suas maiores influências, e não podemos deixar de celebrar como uma banda indie com mais de 30 anos continua a influenciar algumas das principais bandas em 2023.

Vídeos

Concertos

Acreditação e Informações

Origem

Bellshill – Escócia

Discografia

Álbuns

A Catholic Education (1990)

The King (1991)

Bandwagonesque (1991)

Thirteen (1993)

Grand Prix (1995)

Songs from Northern Britain (1997)

Howdy! (2000)

Words of Wisdom and Hope (2002) [with Jad Fair]

Man-Made (2005)

Shadows (2010)

Here (2016)

Endless Arcade (2021)

Nothing Lasts Forever (2023)

Playlist

Links Importantes