Press Release

Dehd

A Estreia de Dehd nos Palcos Portugueses

A Crowdmusic tem o prazer de promover a estreia dos Dehd nos palcos nacionais com duas datas, em Lisboa e no Porto. Concertos a 28 de Junho no Musicbox de Lisboa e a 29 de Junho no CCOP do Porto.

A banda de Chicago vem de um excelente 4º álbum – “Blue Skies” de 2022, de onde saiu o single “Bad Love” que figurou em algumas listas de melhores músicas do ano (Pitchfork – #68 e Paste Magazine – #22).

"Blue Skyes" - A Confirmação dos Dehd

Depois do sucesso de “Flowers of Devotion” de 2020, etiquetado de Best New Music pela Pitchfork, as expectativas eram altas. A boa receção ao segundo álbum “Flower of Devotion” deu acesso à banda a mais recursos para a gravação de “Blue Skies”, orçamento que a banda utilizou para ter mais tempo de estúdio, criação e produção para gravar este 4º álbum e brincar com os arranjos num paraíso de drum machines e sintetizadores.

A nova relação com a editora Fat Possum deu também acesso a outros recursos, como a colaboração na produção e mistura de Craig Silvey (detentor de 1 Grammy e com colaborações com os The Rolling Stones, The National ou Arcade Fire) e de Heba Kadry (com colaborações anteriores com Slowdive, Bjork ou Cate Le Bon).

Este ambiente garantiu aos Dehd as melhores condições para explorarem a sua visão para o seu som e resultou num “Blue Skies” onde a banda está melhor que nunca. Soa a Dehd, mas melhor.

A Banda

Ao vivo espera-nos uma banda elétrica e pujante, que vive do equilíbrio entre o nervo e energia de Emily Kempf e a serenidade psicadélica de Jason Balla.

No baixo, a banda é liderada pela carismática Emily Kempf que encarna o espírito dos Dehd com a sua voz e atitude apaixonada, e o seu baixo potente. Tudo em Kempf é garra e atitude. O estilo de Kempf na voz oscila entre linhas melódicas e vocalizações que interpelam a música, tais como grunhidos, gritos e “yodeling”. Muitas vezes a voz entra num diálogo com Jason Balla, o guitarrista que também empresta a sua voz à música dos Dehd.

Na guitarra Jason Balla dá-nos pequenos riffs que nos fazem cavalgar nas músicas, ou acordes pausados com aquele vibrato surf que nos detém por momentos. Interessante também a participação de Balla na voz, ora harmonizando com Kempf, ora a solo, dando à música dos Dehd diferentes texturas e um contraponto à voz forte de Kempf.

Por fim, Eric McGrady com o seu estilo despojado, dá-nos a cola rítmica que junta este cocktail efervescente de rock pós-punk, juntando também a sua voz por vezes, acrescentando outras camadas à música dos Dehd. Na realidade, quando Balla ou McGrady assumem o papel principal na voz, os Dehd quase parecem outra banda, tal é  marcante o estilo e o carisma de Kempf. Mas essa bipolaridade é também parte do encanto dos Dehd.

A Música dos Dehd

A música dos Dehd é de certo modo minimalista, sendo talvez a voz o instrumento que mais domina a música da banda de Chicago. O baixo de Kempf é eficaz na condução das músicas e a bateria, sem pratos, marca o ritmo de forma despojada dando à música apenas o suficiente.

A guitarra, com alto níveis de reverb e algum delay, traz aos Dehd alguma imprevisibilidade que nos faz prestar atenção ao que vem a seguir. Entre acordes pausados cheios de reverb e vibrato, ao bom estilo Surf, dedilhados rápidos e pequenos riffs, Balla empresta serenidade ao som dos Dehd, relacionando-se com a voz na perfeição.

Os Dehd são catalogados como pós-punk, piscando o olho frequentemente ao surf rock graças à guitarra de Balla. Pisam também a linha do Indie Pop, com as melodias upbeat e coros harmoniosos. Esta mistura única forma a música dos Dehd, que tanto pode tocar num bar de motoqueiros nos desertos do Arizona, como passar numa das séries de maior sucesso da Netflix – Outer Banks. 

Quanto a influências, Balla diz ser influenciado por Cocteu Twins, Cate Le Bon e Broadcast. Já Kempf cita Dolly Parton, James Brown e Roy Orbinson.

Dia 29 / Porto - Primeira Parte de Hause Plants

Os Hause Plants tocam no dia 29 de Junho no Auditório CCOP no Porto, a abrir a noite para os Dehd.

Será o lançamento ao vivo no Porto do novo EP “Field Trip to Coney Island” que verá a luz do dia a 23 de Junho. Os Hause Plants são uma das bandas mais ativas do universo indie Português, tendo estado em Janeiro último no festival Eurosonic e tendo já presença marcado no festival Kalorama em Setembro. A banda passou meio ano nos EUA, onde deu alguns concertos e gravou o seu mais recente EP, que será editado pela norte-americana Spirit Goth. O mais recente single da banda Lisboeta tem tido bastante airplay em várias rádios e promete ser uma das músicas nacionais do ano no panorama mais alternativo. Será sem dúvida uma grande noite no CCOP.

Galeria

Vídeos

Concertos

Acreditação e Informações

Origem

Chicago – USA

Formação

Emily Kempf – Baixo e Voz

Jason Balla – Guitarra e Voz

Eric McGrady – Bateria e Voz

Discografia

EPs

Fire of Love

Álbuns

Dehd – 2016

Water – 2019

Flowers of Devotion – 2020

Blue Skies – 2022

Playlist

Links Importantes

Blue Skies - Crítica

Pitchfork - 7.9 / 10

​​Dehd made the perfect road-trip album for 2020, the year no one left their living rooms. Amid the general malaise, the 13 rock songs on Flower of Devotion hit like intravenously delivered exclamation points, the sound fragile but the spirit indomitable. [..] On Blue Skies, they made the best choice, which is the only choice: Change nothing. Not one thing.

The Guardian - 4 / 5

This Chicago indie-rock trio are one of those bands who are doubly satisfying to listen to – where each song is catchy and evocative on its own, but taken together feel casually masterly.

Paste Magazine - 7.9 / 10

It’s a special kind of joy to hear a rock album that actually sounds like the band had fun making it. That’s the case with any of Dehd’s albums, but it’s especially true with their fourth and first for Fat Possum, Blue Skies, the follow-up to their 2020 album, Flower of Devotion, which prompted us to name the Chicago rock band The Best of What’s Next.